/Vereador de oposição muda de opinião e vota a favor da terceirização do PSM e da UPA

Vereador de oposição muda de opinião e vota a favor da terceirização do PSM e da UPA

Pronto Socorro Municipal de Santarém

Durante seu pronunciamento na tribuna da Câmara de Vereadores, na sessão desta quarta-feira (28), o vereador Valdir Matias Jr. falou do projeto de autoria do Poder Executivo que propõe um novo modelo de gestão por Organização Social (OS) para o município, que inclui também, os serviços da UPA 24 horas e do Pronto Socorro Municipal.

O PROJETO DE TERCEIRIZAÇÃO FOI APROVADO POR UNANIMIDADE, PELOS VEREADORES DE SANTARÉM, NA SESSÃO DESTA QUARTA-FEIRA. 

O vereador informou que acompanhou a comitiva da Câmara durante uma viagem à Goiânia, para verificarem de perto o funcionamento de um hospital público gerido por uma OS há cinco anos. “Fiquei bastante impressionado com o atendimento desta unidade de saúde que desde que passou a ser administrada por uma Organização Social melhorou seus indicadores, ampliou o número de atendimento, os serviços e a própria gestão do setor público. Portanto, creio que será um passo importante a votação deste projeto e uma maneira de tentar buscar soluções para um setor que se encontra em situação crítica atualmente. Temos que torcer para dar certo e trabalhar juntos para garantir melhores condições para nossa população”, pontuou Valdir Matias Jr. O vereador Valdir Matias era ” totalmente” contra o projeto, porém mudou de opinião.

TERCEIRIZAÇÃO APROVADA.

Depois de intensas discussões, os vereadores aprovaram por unanimidade, durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 28/06, a última do primeiro semestre do ano, o projeto de lei que permite ao Executivo Municipal a qualificação de entidades como organizações sociais no âmbito municipal para atender diversas demandas, dentre elas atividades do Sistema Único de Saúde (SUS), desenvolvidas no Hospital Municipal de Santarém e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 horas).

Vereador Valdir Matias. 

Entre as preocupações que geraram cautela dos parlamentares foi a situação dos servidores que já atuam nas unidades de saúde de Santarém. “Os servidores efetivos podem ser cedidos para a OS em o que ela precisar, e o pagamento desse servidor é de responsabilidade do município, mas ele vai glosar o valor desse pagamento do repasse mensal à OS, porque não faz sentido ele [o governo] pagar para um servidor trabalhar dentro da OS”, explicou o vereador Valdir Matias Jr. (PV), que adicionou uma emenda ao projeto.

 

Com informações da Câmara de Vereadores de Santarém.