/Pela sétima vez consecutiva concursados fazem protesto no Pará.

Pela sétima vez consecutiva concursados fazem protesto no Pará.

professores concursoProfessores aprovados no concurso público C-167, destinado à ocupação de vagas para Educação Especial, protestaram, pela sétima vez, ontem pela manhã. Os concursados exigem as nomeações de professores aprovados no concurso promovido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e denunciam que mais de 1.000 servidores estão ocupando irregularmente vagas em desvio de função. O protesto teve concentração no Complexo Arquitetônico de Nazaré (CAN) e, de lá, os professores caminharam em direção ao Centro Integrado de Governo (CIG), também na avenida Nazaré. A intenção era conseguir uma reunião com o secretário de Educação do Estado, José de Seixas Lourenço.

O protesto de ontem foi mais um de uma série de manifestações que os professores, através da Associação dos Concursados do Pará (Asconpa), estão mobilizando para pressionar o governo do Estado a dar uma posição favorável aos concursados. A professora Mônica Wanzeler, 30 anos, aguarda nomeação no concurso C-167 e diz não entender a opção do governo de remanejar servidores em vez de nomear os concursados. “Para dar aula na educação especial, é necessária uma especialização específica. O governo do Estado está sendo irresponsável, porque nós temos um déficit de professores na educação especial que precisa ser suprido”, afirma.

Na opinião do professor Guilherme Silva, 40 anos, que também aguarda nomeação no C-167, o governo está assumindo uma postura intransigente ao se negar a atender os concursados. “É desrespeitoso não só conosco, mas com os alunos, que precisam de novos professores. É lamentável que não tenhamos nenhuma resposta favorável mesmo depois de tantos protestos”, comenta. O advogado Virgílio Moura, presidente em exercício da Asconpa, informa que já foram impetrados diversos mandatos de segurança pedindo a nomeação dos concursados. A associação espera agora decisão da Justiça.

Fonte: DOL

Compartilhar