/Ministro decreta a morte da ‘Zona Franca de Manaus’

Ministro decreta a morte da ‘Zona Franca de Manaus’

Está decretada a morte da Zona Franca de Manaus (ZFM) no governo Jair Bolsonaro. O modelo entrou na UTI esta semana, quando o ministro da Economia, Paulo Guedes, sem rodeios, afirmou de forma categórica que os incentivos para as empresas do Distrito Industrial não serão mantidos. Preservado ficará apenas o nome, na Constituição, sem qualquer influência ou vantagem no processo fabril do País. Com Bolsonaro, a morte da ZFM já é questão de tempo.

O ministro da Economia Paulo Guedes em entrevista à Globo News, na noite dessa quarta-feira (17), disse que não pretende “mexer” com a Zona Franca de Manaus (ZFM), por se tratar de um modelo constitucional, mas afirmou que pode privilegiar outros estados do Brasil zerando impostos, como o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A medida, caso aplicada, tiraria a competitividade do modelo. Veja no vídeo a declaração do Ministro.

As declarações do “braço direito” de Bolsonaro geraram duras críticas por parte da bancada estadual e federal do AM.

Discurso de campanha

Em 2018, a um mês do primeiro turno da eleição, o então presidenciável, Jair Bolsonaro, declarou em uma “live” que a Zona Franca seria protegida caso vencesse as eleições.

“Será protegida. Até porque nasceu durante o regime militar. Foi uma maneira de nós integrarmos o Norte do Brasil com o resto do país, tanto é que serviu e Manaus ocupa, hoje, um lugar no cenário nacional e até mundial”, ressaltou Bolsonaro, que visitava Manaus em meio à campanha eleitoral.

Compartilhar