/Justiça vai leiloar em Santarém a Rádio e Tv Ponta Negra

Justiça vai leiloar em Santarém a Rádio e Tv Ponta Negra

No próximo dia 03 de outubro, uma terça-feira, a empresa Rádio e TV Ponta Negra Ltda. poderá mudar de dono se for concluído o leilão previsto para aquela data pela 1ª Vara Cível de Santarém.

O pregão ocorrerá às 09h00, no hall do 2º andar do Fórum de Santarém próximo ao gabinete do juiz Valdeir Salviano, que determinou o leilão.

A hasta pública convocando o leilão foi divulgada nas redes sociais neste domingo (24/09). pelo blogueiro Jeso Carneiro, que informou ser motivado por um “litígio judicial cível de natureza familiar (divórcio)”. Nesse mesmo dia, além da TV, um veículo, uma lancha e três grandes imóveis também serão leiloados. O processo de que trata o leilão da TV corre sob sigilo de Justiça, por esse motivo não foi possível apurar se os outros bens constantes do anúncio do leilão referem-se ao mesmo processo.

O item C da subasta anunciada pelo leiloeiro Péricles Weber cita a venda dos “Direitos de outorga da Rádio e TV Ponta Negra Ltda., atividades de televisão aberta, de rádio, edição de jornais, propaganda etc. e suas filiais”. Segundo o Edital, além do Canal 5 (TV Ponta Negra), afiliado à rede SBT, estão no pacote a Rádio Ponta Negra AM (890 khz) o canal 20 do mesmo grupo (hoje com programação da Rede Brasil), além dos canais vinculados à emissora em outros 10 municípios da região oeste do Pará.

O Edital informa que o valor mínimo da emissora principal é de quase 600 mil reais, tendo como lance inicial 461.121 reais, acrescidos de 30 prestações mensais fixas de 46.111 reais, sem juros. A Rádio Ponta Negra AM foi avaliada em mais de 300 mil reais, tendo como lance inicial 76.851 reais, acrescidos de 24 prestações mensais fixas de 9.611 reais, sem juros. Já o canal 20 foi avaliado em um pouco mais de 180 mil reais, tendo como lance inicial 46.111 reais, acrescidos de 15 parcelas mensais fixas de 9.231 reais, sem juros.

Os dez municípios que também terão seus canais (do mesmo grupo) leiloados pela Justiça são: Oriximiná (Canal 9, outorga e equipamentos), Juruti (Canal 13, outorga e terreno), Alenquer (Canal 19, outorga, terreno e equipamentos), Óbidos (Canal 12, outorga e equipamentos – compartilhado com TV Tapajós), Monte Alegre (Canal 6, outorga e terreno), Mojuí dos Campos (Canal 11, outorga e terreno), Prainha (Canal 7, outorga e equipamentos), Faro/Nhamundá (Canal 6, outorga e terreno), Terra Santa (Canal 5, outorga e terreno) e Belterra (Canal 5, sem detalhes e nem lance inicial).

Os valores dessas emissoras estão entre 37 e 90 mil reais. Se a venda de todo o pacote de emissoras se concretizar pelo preço mínimo, serão quase 1,7 milhão de reais de arrecadação.

HISTÓRICO – O grupo Ponta Negra fez parte do conglomerado de empresas pertencentes ao empresário Joaquim da Costa Pereira, falecido há 7 anos, e que após sua morte se dissolveu em várias empresas. Ainda hoje corre outro processo de herança na Justiça sobre a principal empresa do antigo conglomerado, a TV Tapajós, capitaneada por duas irmãs de Nivaldo Soares Pereira (foto abaixo), que comanda a Ponta Negra e ampliou seu raio de ação na região.

A TV Ponta Negra (canal repetidor) foi ao ar em 1988, mas antes disso o grupo havia adquirido a 1ª emissora de rádio de Santarém, a antiga Rádio Clube de Santarém (Rádio Ponta Negra AM) que no próximo ano completa 60 anos de fundação. Depois lançou o canal 20, com programação da MTV, que posteriormente mudou pra Record News e atualmente transmite programação da Rede Brasil. No processo de expansão regional, foram sendo adquiridos canais repetidores no oeste do Pará, interligados à programação do SBT. (Fotos Divulgação da TV. Ponta Negra)

 

Comarca de Santarém