/Consumidor terá que pagar por prejuízo de empresas com ‘gatos de energia’

Consumidor terá que pagar por prejuízo de empresas com ‘gatos de energia’

Aprovado na Câmara dos Deputados na semana passada, o projeto de lei que libera a venda das distribuidoras da Eletrobras deve elevar a conta de luz dos cidadãos entre 4% e 5% para o ano que vem. O valor é referente às despesas das empresas com furtos de energia, os chamados “gatos”, na região Norte do país, que serão repassados a consumidores de todas as regiões.

Entenda

Atualmente, a Aneel calcula um índice de furto aceitável para cada empresa, que é pago pelos próprios clientes. O valor que ultrapassar o definido, no entanto, deve ser pago pela própria empresa. O novo projeto, no entanto, estipula que a Eletroacre, do Acre, e a Ceron, em Rondônia, deixem de cumprir a regra e que os custos com furto de energia desde 2009 seja ressarcido às empresas pelos consumidores brasileiros.

Na prática, como detalha o jornal O Estado de São Paulo, isso faz com que as distribuidoras leiloadas fiquem mais interessantes para possíveis compradores, que não terão que arcar com essas despesas. Segundo a Associação Brasileira de Grandes Consumidores (Abrace), isso deve gerar um crédito de R$ 600 milhões às empresas.

Amazonas

A campeã de furtos de energia, a Amazonas Energia, já teve seu índice de furtos revisto e o valor pode novamente ser alterado. Com isso, os custos serão pagos pelo consumidor e ainda que o número de gatos seja reduzido, os lucros ficarão com a empresa que vencer o leilão até cinco anos depois.

Mais despesas

Além de arcar com os custos de energia roubada, o cidadão pode ter que colocar a mão no bolso para pagar as despesas dos reajustes no preço do gás, que é fornecido pela Petrobras às termoelétricas que foram contratados em 2002, com o racionamento de energia. A conta, de R$ 2,1 bilhões, deve ser paga pelo consumidor.

 

Yahoo Finanças

Compartilhar