Arquivo da categoria: Saúde

Vereador denuncia a situação que se encontra a CASA DE APOIO que recebe pacientes de Santarém

 Rogélio Cebuliski

O vereador Rogélio Cebuliski (PSB), ao utilizar a tribuna relatou que recebeu a denúncia sobre a situação da Casa de Apoio, que abriga pacientes em Tratamento Fora de Domicílio (TFD)  em Belém.

A casa é mantida pela Prefeitura de Santarém que garante as despesas mensais do local, mas como citado, o espaço está precário e não oferece estrutura adequada para receber os pacientes.

Segundo os acompanhantes, na casa faltam móveis e alguns eletrodomésticos que não suprem a demanda. Outro relato feito é a lotação do ambiente que recentemente hospedou aproximadamente 20 pessoas.

Antes de finalizar, Cebuliski defendeu que essas pessoas deixam Santarém por necessidade de um tratamento mais eficaz, sendo um direito assegurado ao paciente encaminhado pelo TFD.

Rogélio disse deverá visitar as instalações da casa de apoio na próxima semana, e sobre essa denúncia vai encaminhar cópias do documento formalizado pelo grupo de pacientes e familiares, aos gestores municipais e ao Conselho Municipal de Saúde.

Hospital Regional do Baixo Amazonas realiza Simpósio de Psicologia

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém (PA), vai realizar nesta quarta-feira, 23/8, o ”X Simpósio de Psicologia: a Psicologia Hospitalar com Olhar Psicanalítico”. A psicologia hospitalar atua de forma a compreender e acolher o sofrimento das pessoas que passam por momentos difíceis durante o tratamento em uma instituição de saúde.

As atividades dos psicólogos no ambiente hospitalar são amplas, podendo envolver uma série de atendimentos, como psicoterapia de grupo, avaliação diagnóstica, psicodiagnóstico, consultoria e inter consulta, além de atendimentos em ambulatórios, enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva.

PROGRAMAÇÃO

23/8

14h – Abertura do evento

14h20 – Atuação do psicólogo no HRBA e apresentação do setor Psicossocial – Palestrante: psicóloga hospitalar do HRBA, Gabriela Noronha Fortes

15h – O discurso do analista no hospital: considerações sobre transferência – Palestrante: psicanalista (Belém-PA), Vanusa Balieiro do Rego

16h40 – Coffee break

17h – Possibilidades de atuação da Psicologia na Traumatologia e Ortopedia – Palestrantes: residentes de Psicologia do HRBA, Tássia e Karoline

17h30 – O trabalho do analista no hospital junto aos sujeitos ditos crianças – Palestrante: psicanalista (Belém-PA), Vanusa Balieiro do Rego

SERVIÇO

Tema: X Simpósio de Psicologia
Data: 23/8
Horário: 14h
Local: auditório do HRBA

ALERTA: Casos de ‘conjuntivite’ aumentam em Santarém

Na última semana que passou, começou a “pipocar” vários casos de conjuntivite em Santarém. Talvez um possível “surto” da doença esteja começando na cidade.

Alguns postos de saúde tem registrado vários casos da doença nos últimos dias. A doença atinge os olhos e sua contaminação ocorre com maior facilidade em ambientes fechados como escolas, creches e ônibus.

O QUE É?

A conjuntivite é uma doença que se caracteriza pela inflamação da conjuntiva, causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus.

Geralmente compromete os dois olhos, não necessariamente ao mesmo tempo, sendo o contagio feito pelo contato direto com a pessoa doente ou objetos contaminados.

SINTOMAS

Os principais sintomas da conjuntivite são: 
Olho vermelho e lacrimejante;
Inchaço nas pálpebras;
Intolerância à luz;
Visão embaçada;
Visão borrada.

A secreção da conjuntivite viral é mais esbranquiçada, em pequena quantidade e demorando aproximadamente 15 a 20 dias para desaparecer com tratamento adequado. A secreção da conjuntivite bacteriana é mais amarelada e abundante. Demorar de 5 a 7 dias para desaparecer com tratamento adequado.

TRATAMENTO

Não existe tratamento específico para conjuntivite viral. Para diminuir os sintomas e o desconforto pode-se utilizar soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, limpar os olhos com frequência, ou ainda, usar colírios lubrificantes e lágrimas artificiais.

Algumas medidas podem ser tomadas para se evitar a propagação da conjuntivite viral:

Lave suas mãos com frequência.
Não coloque as mãos nos olhos para evitar a recontaminação.
Evite coçar os olhos para diminuir a irritação da área.
Lave as mãos antes e depois do uso de colírios ou pomadas.
Ao usar, não encoste o frasco do colírios ou da pomada no olho.
Evite a exposição à agentes irritantes (fumaça) e/ou alégenos (pólen) que podem causar a conjuntivite.
Não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite.
Não use lentes de contato se estiver usando colírios ou pomadas.
Não compartilhar lençóis, toalhas, travesseiros e outros objetos de uso pessoal de quem está com conjuntivite;
Evitar piscinas.

É importante que haja o acompanhamento do oftalmologista para um diagnóstico preciso e tratamento adequado. A conjuntivite bacteriana deve além desses cuidados, usar colírios e antibióticos prescritos somente pelo oftalmologista. 

 

Prefeito usa as Redes Sociais para defender a proposta de Terceirização do PSM e da UPA

Prefeito de Santarém Nélio Aguiar.

Após aprovação na Câmara de Vereadores, da proposta de terceirização da gestão do Pronto Socorro Municipal e da UPA, em Santarém, os grupos contrários e opositores da proposta estão se mobilizando para barrar o projeto apresentado pelo Prefeito Nélio Aguiar.

O Conselho Municipal de Saúde (CMS) afirma que não houve diálogo entre o Poder Público e os conselheiros, “Enquanto representantes do Conselho, afirmamos que somos contrários a qualquer medida de terceirização da gestão das unidades de saúde do município”, diz Gracivane Moura, secretária do CMS.  (Jornal O Impacto)

LEIA TAMBÉM: Organização Social (OS), deve assumir a gestão do PSM e da UPA no prazo de 60 dias. 

Para o vereador Henderson Pinto, líder do governo na Câmara, é preciso tomar medidas que viabilizem melhorias no atendimento à população. “Importante ressaltar que o Poder Executivo apenas pediu autorização da Câmara Municipal de Santarém, através de Lei, para que ele possa fazer um processo de qualificação de O.S. que tenham interesse em fazer a gestão do HMS e da UPA. Tudo isso para preparar o município para uma tendência na gestão pública que o apoio de instituições que tenham expertises, que tem condições e capacidades para fazer um novo modelo de gestão”, explica o parlamentar.  (Jornal O Impacto)

PREFEITO USANDO AS REDES SOCIAIS. 

Na manhã de hoje (02), o prefeito Nélio Aguiar fez uma postagem em seu perfil no Facebook, defendendo a proposta de terceirização da gestão do PSM e UPA que deve mudar no mínimo em 60 dias. Leia abaixo a postagem divulgada em Rede Social. 

Em dezembro farei 26 anos de formado em medicina. A minha missão é amenizar a dor e o sofrimento das pessoas e salvar vidas. Já trabalhei no Hospital Municipal de Santarém e no Hospital Regional. Já fui Secretário de Saúde e atualmente sou prefeito de Santarém eleito no primeiro turno com cerca de 55% dos votos com a proposta de fazer as mudanças necessárias no nosso município.

Buscando a melhoria no atendimento da população pelo SUS apresentamos uma proposta de gestão por OS(Organização Social que foi aprovada por unanimidade pela Câmara Municipal).

Temos que acreditar que vai dar certo. Do jeito que está não pra da continuar. Tem que mudar. Temos exemplos que mesmo gastando menos recursos, foi ampliado o número de atendimentos, reduzido a infecção hospitalar, redução da taxa de mortalidade na UTI se 70% para 15 %, atendimento humanizado e o fim da internação de pacientes em macas pelos corredores. Na sequência o antes e o depois.

POSTAGEM DE NÉLIO AGUIAR NO FACEBOOK. 

 

Com informações do Jornal O Impacto.

Organização Social (OS), deve assumir a gestão do PSM e da UPA no prazo de 60 dias

                                                     Nélio Aguiar (esq.) e Edson Filho (dir.)

O processo que resultará na contratação de uma Organização Social (OS) para gestão do Hospital Municipal de Santarém (HMS) e da Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA) dever durar no mínimo 60 dias. O prazo conta a partir dessa próxima segunda-feira (3) quando o será sancionado o Projeto de Lei aprovado na Câmara Municipal. Os custos do contrato devem girar em torno de R$ 5 milhões, não haverá demissão em massa e a autonomia das políticas públicas da saúde de Santarém será mantida sob o comando do secretário municipal.

                    Blogueiros e Secretário de Saúde.

As informações foram prestadas na manhã desta sexta-feira, 30, pelo prefeito Nélio Aguiar e pelo secretário municipal de Saúde Edson Ferreira. Eles participaram de uma sabatina promovida pela Associação dos Blogueiros do Oeste do Pará (Abop) cujo assunto foi a terceirização do HMS e da UPA 24H. Além do Blog do Alailson, participaram da sabatina os blogueiros Dayan Serique, Jeso Carneiro, Marcos Santos, Hiromar Cardoso e Roni Neto.

Abaixo você pode ler o resumo das principais perguntas e principais respostas da sabatina.

ALAILSON – Como fica a situação dos profissionais da saúde que já trabalham no HMS e na UPA 24h com a terceirização dessas unidades?

Nélio Aguiar – Nosso projeto de OS é diferente do projeto de OS do Governo do Estado: não permite que servidores públicos estaduais trabalhe na unidade de saúde administrada pela OS. O nosso projeto que foi aprovado por unanimidade na Câmara Municipal permite que o servidor público municipal trabalhe na unidade sob gestão da OS. A folha de pagamento da prefeitura continua normal. O efetivo fica cedido para a OS. O que é pago na folha de pagamento é descontado do montante repassado à OS. Não é um projeto de demissão em massa nem de importar servidores quero deixar bem claro. É um projeto de gestão para dar mais eficiência e para ter mais eficiência, eles (servidores) terão que ter melhores condições de trabalho. Os servidores contratados pela OS terão mais direitos, pois terão FGTS e outras garantias trabalhistas que o contratado temporariamente pela Prefeitura não tem em virtude de lei.

JESO CARNEIRO – Como vai ocorrer a implementação da gestão dessa OS nos postos de saúde, unidades básicas, HMS e UPA 24H?

Nélio Aguiar – Nós estamos trabalhando três linhas de ação para melhorar a saúde do município. O primeiro foi a entrega do serviço de hemodiálise ao governo do estado. Tecnicamente e do ponto de vista financeiro não poderia ficar mais sob a responsabilidade do município. Lá no Estado ele será ampliado e modernizado e nós ganharemos mais trinta leitos para o Hospital Municipal. A outra questão é ‘urgência e emergência’: UPA e HMS. Essa questão diz respeito ao modelo de implantação da OS. A outra etapa será a qualificação da OS, a estimativa de meta, e valores. Quem qualifica as OS é a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). As unidades básicas de saúde (como postos de saúde0 vão permanecer sob a gestão do município. Elas vão ganhar também, pois a Semsa terá mais tempo, energia e empenho para direcionar a essa unidades. Todas as políticas voltadas à atenção básica vão melhorar com mais atenção. A Os não se estende às unidades básicas de saúde.

Edson Ferreira – Além de garantir os direitos, nós vamos priorizar quem está na cidade e na Semsa. Funcionários, médicos, prioridade daqui. Ninguém vai importar profissionais de outras cidades ou estado. É claro que nós vamos capacitar e levar em consideração quem tem compromisso e capacidade técnica para estar lá. Tem muita confusão em relação ao termo terceirização. Ouve-se que vamos privatizar o SUS. Não é isso! É uma terceirização de gestão. Com objetivo de a urgência e emergência que não pode esperar serem mais ágil.

Vai melhorar a compra de medicamentos que às vezes é fatiada em virtude da obediência da lei das licitações. Empresas de outros estados ganham e, às vezes, por motivo de trafegabilidade, não chegam aqui.

HIROMAR CARDOSO – As OS interessadas conhecem a realidade da nossa região? Quais os pontos que levaram à ideia de terceirização?

Nélio Aguiar – Elas (OS) estão visitando a cidade e o Hospital para conhecerem. O que levou a terceirização é a situação caótica que se encontra a saúde. Passaram-se vários prefeitos, os gastos aumentam e não se consegue dá uma resposta. Temos vários exemplos de que a implementação da OS deu certo. Estamos tendo a ousadia e a coragem de apostar nessa ideia. Em Goiânia, onde visitamos, reduziu o custo de 9 milhões para 7 milhões e virou excelência. Não é uma aventura porque já tem resultado positivos na prática.

RONI NETO – O município já tem uma ideia de quanto vai gastar com a OS na gestão da UPA e do HMS?

Nélio Aguiar – O município já tem financiamento próprio. Serão gastos em torno de R$ 5 milhões. Um milhão por parte da UPA. Sendo R$ 500 da União, R$ 250 mil do Estado e R$ 250 mil do município. Os 4 milhões são do Hospital Municipal.

DAYAN SERIQUE – o Conselho Municipal de Saúde se posicionou contra a terceirização e alegou não haver transparência no processo. O Conselho terá cadeira no Conselho Gestor dessa OS que vai administrar o Hospital e a UPA?

Nélio Aguiar – Sim. Em relação à transparência, a gente respeita o posicionamento, mas ele não é verdadeiro. Desde o momento em que a gente fez a proposta, antes de enviar para Câmara, chamamos uma coletiva e convidamos a Câmara e o Conselho. O Conselho não apareceu naquele momento. Quando a gente fez o anúncio, a gente fez para toda sociedade eu não peguei um oficio e entreguei escondido à Câmara. A gente deu oportunidade. Nós demos oportunidade de discutir e muitos segmentos e pessoas graduadas da sociedade se manifestaram favoráveis. Temos os pareceres das Comissões da Câmara. … A OS vai administrar, mas quem orienta e manda nas políticas de Saúde é o secretário de Saúde e terá um Conselho Gestor. A OS não vai fazer o que quiser, terão regras.

Edson Ferreira – A nossa bandeira é a saúde pública. A população foi ouvida e escolheu o prefeito Nélio para fazer uma mudança na saúde pública. Hoje, a palavra é ousadia e mudança. Não se pode mudar continuando a fazer aquilo que outros prefeitos fizeram lá atrás.

MARCOS SANTOS – Quando será sancionado esse projeto e qual o próximo passo?

Nélio Aguiar – Segunda-feira será sancionado o projeto. Vamos fazer tudo de acordo com a legislação federal. Depois de sancionada a lei, vamos definir a quantidade de procedimentos que vamos colocar no edital. Vamos fazer a qualificação das OS. As que forem qualificadas vão participar de um processo de chamada pública para escolha de quem apresentar a melhor proposta. Isso deve acontecer em 60 dias, no mínimo.

 

 Reportagem foi publicada originalmente no Blog do Alaílson.

Vereador de oposição muda de opinião e vota a favor da terceirização do PSM e da UPA

Pronto Socorro Municipal de Santarém

Durante seu pronunciamento na tribuna da Câmara de Vereadores, na sessão desta quarta-feira (28), o vereador Valdir Matias Jr. falou do projeto de autoria do Poder Executivo que propõe um novo modelo de gestão por Organização Social (OS) para o município, que inclui também, os serviços da UPA 24 horas e do Pronto Socorro Municipal.

O PROJETO DE TERCEIRIZAÇÃO FOI APROVADO POR UNANIMIDADE, PELOS VEREADORES DE SANTARÉM, NA SESSÃO DESTA QUARTA-FEIRA. 

O vereador informou que acompanhou a comitiva da Câmara durante uma viagem à Goiânia, para verificarem de perto o funcionamento de um hospital público gerido por uma OS há cinco anos. “Fiquei bastante impressionado com o atendimento desta unidade de saúde que desde que passou a ser administrada por uma Organização Social melhorou seus indicadores, ampliou o número de atendimento, os serviços e a própria gestão do setor público. Portanto, creio que será um passo importante a votação deste projeto e uma maneira de tentar buscar soluções para um setor que se encontra em situação crítica atualmente. Temos que torcer para dar certo e trabalhar juntos para garantir melhores condições para nossa população”, pontuou Valdir Matias Jr. O vereador Valdir Matias era ” totalmente” contra o projeto, porém mudou de opinião.

TERCEIRIZAÇÃO APROVADA.

Depois de intensas discussões, os vereadores aprovaram por unanimidade, durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 28/06, a última do primeiro semestre do ano, o projeto de lei que permite ao Executivo Municipal a qualificação de entidades como organizações sociais no âmbito municipal para atender diversas demandas, dentre elas atividades do Sistema Único de Saúde (SUS), desenvolvidas no Hospital Municipal de Santarém e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 horas).

Vereador Valdir Matias. 

Entre as preocupações que geraram cautela dos parlamentares foi a situação dos servidores que já atuam nas unidades de saúde de Santarém. “Os servidores efetivos podem ser cedidos para a OS em o que ela precisar, e o pagamento desse servidor é de responsabilidade do município, mas ele vai glosar o valor desse pagamento do repasse mensal à OS, porque não faz sentido ele [o governo] pagar para um servidor trabalhar dentro da OS”, explicou o vereador Valdir Matias Jr. (PV), que adicionou uma emenda ao projeto.

 

Com informações da Câmara de Vereadores de Santarém. 

Estudantes de Medicina dos Estados Unidos visitam o Hospital Municipal de Santarém

O Hospital Municipal de Santarém(HMS), recebeu na tarde desta segunda feira (19) a visita de doze estudantes de medicina da Universidade West Virgínia University, localizada nos Estados Unidos.

Os universitários chegaram à cidade acompanhados do médico e professor Dr. Gregory Guckert, através da ONG Amizade, com sede em Santarém.

O objetivo da visita é conhecer de perto a realidade da saúde pública na região e somar conhecimento em relação a doenças tropicais.

Segundo kate Reefe, coordenadora da ONG Amizade em Santarém, o hospital municipal chama a atenção por receber pacientes de vários lugares da Amazônia com todos os tipos de patologias.

A visita foi acompanhada pelo Diretor Administrativo Celso Alves e o Técnico em enfermagem José Ivaldo Portela.

Segundo o Diretor do HMS, essas visitam são importantes para mostrar que o Hospital recebe pacientes com todos os tipos de doenças, dentro de suas possibilidades, e que esses pacientes são diagnosticados e tratados com qualidade e com profissionalismo por uma equipe qualificada e comprometida com  a saúde da população de nossa cidade.

 

Prefeitura de Santarém. 

Substância encontrada em goma de tapioca é capaz de causar danos nos pulmões e rins

O doutor em Química e Análise Orgânica, Raimundo Nascimento, da Universidade do Amazonas (UFAM), afirma que a farinha  usada como a goma da tapioca pode ser totalmente prejudicial à saúde. Tudo por conta da substância química cianidrina encontrada em algumas análises.

Essa substância ataca células nervosas, causa danos nas funções dos pulmões e dos rins, e pode colaborar no desenvolvimento do câncer no sistema digestivo.

Esta substância no organismo se transforma em acetona e em ácido de cianídrico, que origina um gás altamente tóxico (o cianeto), utilizado, inclusive, em execuções nas câmaras de gás. Para o preparo adequado, deve-se tirar a casca e não apenas fazer a raspagem da parte de cor aparentemente marrom. “Comecei a analisar nossas farinhas no geral como também a goma da tapioca e a cianidrina se fez presente. Quando se compra a goma para o preparo da tapioca, a pessoa não sabe como ela foi preparada. Se quem vendeu a goma retirou apenas a película, induz o consumidor a ingerir o ácido cianídrico. É necessário, portanto, retirar toda a casca, que representa, aproximadamente, 10% da fécula”, contou o pesquisador.

A cianidrina também se faz presente na casca da macaxeira. No caso da macaxeira, quando ela é cozida há situações que a substância chega a penetrar no miolo. “Nesses casos é possível saber, pois a cianidrina deixa a macaxeira cozida meio amargo. Logo, não aconselho o consumo”, reforçou.

Verdadeiro ou falso?

Alguns outros pesquisadores não concordam com esta teoria. Um deles é Joselito Motta, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que faz estudos sobre a mandioca há mais de 30 anos. Ele explica que a informação é falsa porque o ácido é eliminado durante o processo de fabricação da farinha de mandioca.

“A Embrapa possui uma coleção de cerca de 2.250 variedades, sendo a maioria bravas e em torno de 300 mansas ou aipins. As variedades bravas contêm o ácido cianídrico, princípio tóxico que é eliminado com o processamento para o fabrico da farinha de mandioca. A fécula ou amido é retirada de qualquer uma das variedades depois de um processamento ainda mais completo que para o fabrico da farinha. Não existe portanto a menor possibilidade de haver a presença de HCN – ácido cianídrico – na tapioca, pois ele é removido com a água durante o processamento da raiz”, afirma Joselito Motta.

Tapioca

A tapioca é tipicamente brasileira, de origem indígena tupi-guarani, feita com a fécula extraída da mandioca, também conhecida como goma da tapioca, polvilho, goma seca, polvilho doce. Ela é feita jogando-se na frigideira a goma de mandioca com a ajuda de uma peneira ou espalhando com uma colher. Esta goma nada mais é do que o amido de mandioca que recebeu adição de água.

 

Hospital HSM.

PSM e UPA de Santarém poderá ser administrado por empresa terceirizada (OS).

Os problemas no setor da saúde em Santarém, no oeste do Pará, são muitos. Cenas como pacientes no chão, pelos corredores e que esperam dias para receber atendimento médico não são raros no Pronto Socorro Municipal (PSM). Na tentativa de mudar essa realidade, o prefeito Nélio Aguiar assinou na tarde desta segunda-feira (12) um Projeto de Lei que dispõe sobre a terceirização da gestão do PSM e UPA, que até o fim de 2017 devem ser administrados por uma Organização Social (O.S).

Prefeito assinou Projeto de Lei nesta segunda-feira.

A proposta vai ser encaminhada à Câmara de Vereadores para apreciação e votação em caráter de urgência. A assinatura ocorreu no auditório do Centro de Informações e Educação Ambiental (Ciam) durante uma coletiva de imprensa.

Apesar de atualmente o município fazer a gestão da urgência e emergência do Hospital Municipal, além da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Nélio admitiu que a prefeitura tem enfrentado dificuldades com esse modelo, como licitações para compra de equipamentos e medicamentos, e quadro de médicos disponíveis para atendimentos.

“Se a gente quiser mudar, se a gente quiser melhores resultados, nós temos que buscar alternativas, ir por outro caminho. Se a gente insistir nesse mesmo modelo atual de gestão não vamos dar respostas à população de Santarém”, disse.

Segundo o prefeito, esse PL foi baseado na Lei de O.S já implantada no estado de Mato Grosso para que não haja desligamentos do quadro de funcionários concursados. O projeto de lei engloba casos de média complexidade na parte eletiva e de urgência.

REGULAÇÃO DE PACIENTES. 

De acordo com o prefeito, os pacientes de outros municípios que vêm para Santarém receber atendimentos médicos que não são de urgência e emergência, e sim casos eletivos, deverão ser regulados. A medida é para desafogar o PSM. “Esses casos devem ser acionados à Sespa para receber atendimento no Hospital Regional porque o caso dele é eletivo. As centrais dos municípios devem fazer isso”, enfatizou.

O secretário de Saúde, Edson Filho, informou que esse tipo de medida existe, porém é burlada pelos pacientes que procuram atendimento em Santarém por conta própria. “Santarém não vai deixar de ser polo, os pacientes vão continuar vindo, mas esse sistema vai ser melhor regulado”, declarou.

 

G1/Santarém 

 

Cirurgia ortognática: Sorriso mais bonito e melhora na mastigação, são alguns dos benefícios dessa cirurgia

Muitos distúrbios ortodônticos podem ser resolvidos com tratamentos simples. Aparelhos fixos, móveis, placas de tratamento de DTM (Disfunção TermoMandibular), entre outros podem ser feitos a médio e longo prazo sem grandes problemas. Já alguns casos são um pouco mais complicados e precisam de intervenções mais diretas, incluindo até mesmo tratamentos cirúrgicos.

Esse é o caso de quem precisa recorrer a cirurgia ortognática, que é mais comum do que parece. Ela é recomendada para quem possui algum tipo de deformidade óssea na região bucomaxilofacial..

Segundo o cirurgião bucomaxilofacial, Dr. José Flávio Torezan, todos os pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico-ortodôntico têm em comum opiniões em que concordam com o resultado positivo da operação, compreendendo a complexidade da cirurgia. Primeiramente, sabem que o pós-operatório é delicado, com bastante inchaço, e em segundo lugar ficam extremamente felizes com a significativa melhora da estética, da mordida e da respiração, uma vez que a parte interna do nariz e vias aéreas ficam desobstruídas.

Tal procedimento é realizado por um cirurgião dentista, especialista em cirurgia Bucomaxilofacial, que trata doenças e problemas da boca e da face. “Nessa cirurgia são feitos cortes na gengiva e nos maxilares (tudo por dentro da boca) para reposicionar os ossos em novo local pré-programado, resultando em uma mordida correta e, por consequência, uma melhora muito acentuada no perfil e na estética da pessoa. A boa notícia é que vários planos de saúde e até o SUS costumam cobrir essa cirurgia dentro de seus serviços, por se tratar de um importante benefício à saúde da população, como foi o caso da estudante Paula”, explica o cirurgião bucomaxilofacial.

Para aqueles que necessitam do tratamento orto-cirúrgico e ainda sentem-se inseguros para realizar a operação, há certeza garantida quanto as técnicas de anestesia que estão cada vez mais seguras, apoiadas por equipes bem treinadas, com profissionais super preparados e instalações hospitalares de ponta, contando com materiais indispensáveis ao procedimento (meias elásticas de compressão nas pernas e massageadores que devem ser utilizados durante a intervenção para evitar as tromboses). “O resguardo da saúde e da vida dos pacientes deve ser colocado em primeiro lugar. Estes devem ser sempre orientados pelo cirurgião responsável, de maneira a tratar o operado da forma mais humana e cautelosa”, conclui Dr. José Flávio Torezan.

O Dr. José Flávio Torezan, cirurgião bucomaxilofacial em clínica privada com atividade exclusiva em cirurgia ortognática, cirurgia das ATM’S, cirurgias reconstrutivas maxilo faciais e tumores de boca; Atua nos Hospitais Israelita Albert Einstein, Sírio Libanês, Alemão Osvaldo Cruz, Santa Catarina, São Luiz e Hospital do Coração, em São Paulo/SP (http://www.ortognaticatorezan.com.br/).

 

Câmara aprova proposta que regulamenta atribuições de agentes de saúde

A proposta que define as atribuições profissionais dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias foi aprovada, nesta quarta-feira (24), pela comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a matéria. A proposta segue para o Senado, caso não haja recurso para apreciação pelo Plenário da Câmara.

A aprovação foi celebrada por centenas de agentes comunitários, que compareceram à Câmara para acompanhar a votação. Por sugestão do relator, a proposta foi batizada de Lei Ruth Brilhante, em homenagem à agente de saúde que se tornou símbolo da luta por direitos da categoria, e faleceu há poucos dias.

A proposta redefine as atribuições dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias, diferenciando atividades privativas, supervisionadas, compartilhadas e integradas.

O relator flexibilizou a exigência de ensino médio para exercício da atividade, contida no texto inicial. De acordo com o substitutivo, os profissionais que já atuam como agentes comunitários e que não tenham concluído o nível médio poderão permanecer na atividade.

Ainda segundo o texto, em localidades onde não haja candidatos com ensino médio suficientes para o preenchimento das vagas de agente comunitários poderão ser aceitos candidatos com ensino fundamental, que deverão comprovar a conclusão do ensino médio no prazo máximo de três anos.

Curso técnico

Para o exercício da atividade de agente comunitário, o projeto de lei exige, além do ensino médio, curso de formação inicial de 40 horas e curso de aprimoramento de 200 horas a cada 24 meses de atuação.

Adicionalmente, o substitutivo obriga estados, Distrito Federal ou municípios a oferecerem curso técnico de 1.200 horas aos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias.

Jornada de trabalho

O substitutivo divide a jornada de trabalho de 40 horas do agente comunitário – já prevista na lei atual – em 30 horas semanais para as atividades externas de visita domiciliar e outras ações de campo e 10 horas semanais para atividades de planejamento e avaliação das ações, entre outras.

O relator ressalta que os agentes comunitários, por exercerem papel de liderança, muitas vezes são procurados pela comunidade fora do horário de expediente para solucionarem situações as mais diversas.

Indenização de transporte

Muitos agentes comunitários têm feito uso de seus meios próprios de locomoção nas suas áreas de atuação sem, no entanto, receberem qualquer reparação pelos custos envolvidos. Por isso, ele acrescenta o direito à indenização de transporte à proposta.

Área de atuação

Hoje a Lei 11.350/06 determina que o agente comunitário de saúde resida na área da comunidade em que atua. O substitutivo permite ao servidor morar em local diverso quando houver risco à integridade física do agente ou de membro de sua família, em decorrência de ameaça por parte de membro da comunidade em que atue.

Além disso, o texto permite que o agente não more na comunidade onde trabalha no caso de aquisição de casa própria em localidade distinta.

Contratação temporária

Embora a Lei 11.350/06 seja clara quanto à obrigatoriedade de vínculo direto entre os agentes comunitários de saúde e de combate às endemias e os entes da Federação, o relator observa que “a contratação temporária ainda impera em todo o País”.

Para auxiliar na solução do problema, o substitutivo estabelece que a Defensoria Pública e o Ministério Público promoverão as medidas cabíveis para impedir a contratação temporária e assegurar a regularização do vínculo direto com o Poder Público.

 

Câmara do Deputados

Pró-Saúde abre vagas para três cargos no HRBA em Santarém/PA

Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar está com vagas abertas para os cargos de fisioterapeuta, farmacêutico e técnico de Enfermagem no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém (PA).

Todas as vagas possuem disponibilidade para pessoas com deficiência (PCD).

-Cargo: fisioterapeuta

Atividade: realizar tratamento fisioterapêutico de acordo com protocolos estabelecidos pelo serviço, conhecimento técnico e tratamento específico a cada patologia. Elaborar relatórios mensais, abrangendo o número de usuários atendidos e tipos de atendimentos.

Requisitos: ensino superior completo em Fisioterapia e conselho ativo.

Experiência: desejável ter experiência de três meses em atendimentos hospitalares na parte de UTI.

Horário: 150h mensais.

Benefícios: salário + VT.


-Cargo: técnico de Enfermagem

Atividade: prestar serviço assistencial de Enfermagem hospitalar.

Requisito: ensino médio completo, curso técnico em Enfermagem completo. Registro atualizado e ativo no Conselho Regional de Enfermagem do Pará.

Experiência: experiência de, no mínimo, seis meses na função.

Horário: 180h mensais.

Benefícios: salário + VT

 

-Cargo: farmacêutico

Atividade: garantir a dispensação dos materiais e medicamentos solicitados, atuando junto à equipe multiprofissional de assistência ao paciente.

Requisito: ensino superior completo em Farmácia e conselho ativo. Disponibilidade imediata.

Experiência: experiência de, no mínimo, seis meses na função.

Horário: 180h mensais.

Benefícios: salário + VT.

Forma de candidatura: cadastre o currículo no www.prosaude.org.br/trabalheconosco

A Pró-Saúde tem 50 anos de história, promove e valoriza a diversidade, igualdade de direitos e de oportunidades. A instituição contrata profissionais experientes, pessoas com deficiência ou que buscam a primeira experiência no mercado de trabalho.

Confira estas e outras vagas no Portal de Carreiras da Pró-Saúde:  www.prosaude.org.br/trabalheconosco

Vírus da febre amarela tem mutação genética inédita no Brasil

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) finalizou os primeiros sequenciamentos completos do genoma de amostras do vírus da febre amarela referentes ao atual surto da doença no Brasil. A partir da análise da sequência completa do genoma do vírus foi possível constatar a presença de variações em sequências genéticas que estão associadas a proteínas envolvidas na replicação viral. Segundo a instituição, não há registro anterior dessas mutações na literatura científica mundial.

O surto é o mais severo das últimas décadas, e a doença tem se espalhado de forma rápida, com casos em animais e humanos diagnosticados, inclusive em locais considerados livres da doença há quase 70 anos.

Os pesquisadores constataram modificações no código genético dos vírus, que foram identificadas na comparação com a sequência genética completa do vírus relacionado a surtos ocorridos desde a década de 1980 no Brasil e na Venezuela.

A equipe de cientistas informa, no entanto, que a vacina usada atualmente protege contra diferentes genótipos do vírus, incluindo o sul americano e o africano, e que as alterações detectadas no estudo não tiram a eficácia de quem tomou uma dose.

Assim, os primeiros sintomas, que caracterizam a fase aguda incluem:

  1. Febre alta;
  2. Mal-estar geral;
  3. Dor em todo o corpo e dor muscular, principalmente nas costas e joelhos;
  4. Sensibilidade à luz;
  5. Náuseas e vômitos;
  6. Perda de apetite;
  7. Tonturas.

Já os sintomas da fase tóxica são:

  • Icterícia, caracterizada pela pele e olhos amarelos;
  • Dor abdominal;
  • Vômitos com sangue;
  • Sangramentos pelo nariz, boca e olhos;
  • Doença dos rins e do fígado;
  • Problemas cardíacos;
  • Convulsões.