/Apoiadores de Bolsonaro não aceitam a politicagem que está ocorrendo no PSL do Pará

Apoiadores de Bolsonaro não aceitam a politicagem que está ocorrendo no PSL do Pará

 

Após as eleições, um grupo de seguidores do projeto do Presidente eleito Jair Bolsonaro, começou a se pronunciar nas redes sociais sobre a sua derrota no Pará e a vitória de Helder Barbalho no estado. 

Segundo alguns eleitores, Helder Barbalho não “representa em nada” o projeto da ‘direita’ e por esse motivo o partido de Bolsonaro, o PSL, não poderia ter apoiado o candidato do MDB. Isso tudo ocorreu após o deputado Eder Mauro, que está no comando do PSL, ter declarado em outubro apoio a candidatura de Helder Barbalho. O presidente estadual do partido e o filho do deputado. 

O clima está ficando insustentável entre alguns membros do PSL, que não aceitam essa aproximação do partido junto a Helder, e da “politicagem” que está ocorrendo dentro do PSL. O partido do presidente eleito deve se enfraquecer nos próximos meses, com a perda de apoio dos movimentos populares que apoiaram Bolsonaro nas eleições. Leia abaixo alguns comentários contra a atuação do PSL no Pará.  

POSTAGEM DA DIREITA DE SANTARÉM/PA

Bom, para aqueles não sabem o que se passa, vou tentar explicar!

Ano passado quando começamos a caminhada na luta para eleger Bolsonaro, começamos um trabalho em que fomos interligando vários municípios do Pará dos pequenos aos maiores, de Santarém a Maraba e Belém, nessa mesma época, Bolsonaro assumiu o PSL e passou a colocar seus “aliados” para liderar o partido em seus respectivos estados, aqui no Pará ele foi entregue ao Deputado Eder Mauro – PSD/PA, pois até então era o político do estado mais próximo de Bolsonaro, a primeira vista pareceu ser uma boa ideia, só que logo em seguida, descobrimos que Eder Mauro não iria passar para o PSL, cremos que seria devido a tempo de tv e verba de campanha que até então o PSL não tinha muito, colocou ele o seu filho Rogério para assumir a presidência do PSL estadual do Pará, nessa época tínhamos varias lideranças que estavam se dispondo a vir candidatos de direita para renovar o Pará, tanto no cenário estadual quanto federal, quando começou a cogitar essa possibilidade, nos deparamos com uma barreira e insegurança imposta pela direção estadual do PSL, não dando garantia de se lançar candidatos aos cargos, nesse momento houve um tremendo alvoroço no cenário de direita do estado, em seguida já ouvíamos rumores que o Eder Mauro viria apoiar Hélder Barbalho pra governador, coisa que o Bolsonaro disse que não se misturaria, isso criou uma enorme decepção a aqueles que acreditavam no Deputado, juntando o cenário de insegurança da candidatura e a possibilidade de dividir o palanque com Hélder Barbalho, muitos candidatos optaram por saírem por outros partidos, mesmo os partidos não tendo cunho a direita, mas era isso ou nada, chegando às eleições o PSL não tinha nem candidato a senador para se quer afrontar a esquerda no posto, candidatos a federal e a estadual, contava-se nos dedos das mãos, o qual só elegeu um deputado que até então nunca tinha defendido ou se posicionado a favor de Bolsonaro, nem se quer fez campanha para o Bolsonaro mas surfou na onda.

Outra postagem que chamou a atenção dos apoiadores de Bolsonaro, foi da vice-presidente estadual do PSL, no Pará. 

Compartilhar